Como melhorar seu desempenho no tênis

O tênis exige muito de quem quer praticá-lo com maestria ou, pelo menos, com dignidade. Há uma série de recursos, considerações, habilidades e técnicas que fazem toda a diferença no desempenho de cada um. E, por ser um esporte individual, é você quem deve ter todos em mente e colocá-los dentro de quadra. Obviamente, bons professores, treinadores e adversários fazem toda a diferença. Também com o intuito de ajudar, selecionamos alguns aspectos essenciais para que você possa se aperfeiçoar continuamente.

Antes de qualquer coisa, é importante ter em conta o seu nível como tenista. É iniciante, intermediário ou avançado e pretende se tornar profissional? Para quem está dando os primeiros passos dentro do tênis, o uso de bolas mais lentas pode facilitar o aprendizado, já que fornece mais tempo de reação e permite que pense nas jogadas que fará. Em um primeiro momento, você deve dar atenção ao controle e ao domínio da bola para, só depois, atentar à potência. A falta de adversários não é desculpa, você pode estabelecer metas e desafios próprios frente ao paredão.

Para aqueles que passaram da fase inicial e já sabem o básico – de modo consistente –, o desafio está em melhorar as técnicas aprendidas e o preparo físico ou, dentro do possível, não cair de rendimento.

Aos que querem se tornar profissionais, um treinador experiente é indispensável, bem como esquematizar um calendário de jogos e torneios dos quais participará. Ressaltadas as diferenças, as dicas que seguem são válidas a todos.

Dentro de jogo

A partida começa com o saque; as dicas, também. Começá-lo com os pés afastados (distância equivalente a dos ombros) facilita a projeção do corpo para frente e aumenta a possibilidade da força depositada na bolinha ser maior. Uma maior aceleração da bola também pode ser impressa aumentando a trajetória da raquete ao aproximá-la das costas. Flexionar e estender os joelhos também ajuda na impulsão. Porém, nada disso é eficaz se o lançamento não for bom, por isso treine bastante esta etapa do serviço.

Um melhor jogo de fundo depende de conseguir chegar à bola a tempo de se encontrar fixo ao rebatê-la. Esse fator facilita o domínio da jogada, diminuindo a chance de erros. Saber escolher entre bolas cruzadas ou paralelas é, também, muito importante. Embora a segunda seja mais ofensiva, a primeira é mais fácil e pode ser muito útil quando o cansaço começa a ser seu companheiro dentro de quadra.

Na frente da rede, entretanto, a tática muda um pouco. Não ficar parado, manter as pernas semiflexionadas e realizar pequenos saltos (os chamados splits) podem facilitar a recepção da bola, já que este tipo de jogo exige rapidez e reflexos mais apurados. Treine a subida à rede e mantenha uma atitude ofensiva, não esperando a bola e, sim, indo até ela.

Atenção à defesa. Embora possa parecer simples, ela exige do tenista uma altíssima velocidade, sendo aconselhável que se corra na ponta dos pés. Quem joga defensivamente lida, a todo instante, com a falta de tempo. Neste tipo de jogo, treinar bases de apoio em velocidade é mais que necessário. Assim como voltar a um posicionamento de espera adequado. O “balão”, embora condenado por muitos, é um recurso muitas vezes útil, pois possibilita um tempo de retorno ao atleta, empurrando o adversário para trás.

Dentro da mente

Algumas habilidades psicológicas podem – e devem – ser aprendidas por aqueles que desejam melhorar seu desempenho no tênis. Dentre as mais importantes está a disciplina. Por mais talento e vontade que você tenha de aperfeiçoar o seu jogo, sem uma rotina de treinos, uma boa dieta alimentar e noites bem dormidas, será impossível. Ter comprometimento é essencial. Ao lado, caminha a concentração: focar na bolinha, nos movimentos (seus e do seu rival) e no jogo em si.

Lidar com pressão e adversidades também faz parte do dia a dia de um tenista ou praticante do esporte. Uma torcida contrária ou um erro são exemplos. Para superar quaisquer problemas desse tipo, a perseverança e o equilíbrio emocional são indicados. Por melhor que você seja, você vai perder algum jogo. Ter inteligência tática, espírito de luta, garra e autoconfiança pode ser decisivo para reverter um placar adverso. Aprenda com suas vitórias (valorize e veja quais aspectos você se saiu bem; compartilhe a felicidade com quem sempre esteve ao seu lado, incentivando) e com as derrotas (quais os erros que cometeu e que precisa ser treinado mais intensivamente, por exemplo).

Segundo profissionais, outra boa ferramenta é ter metas de atuação. Ou seja, não estabelecer como objetivo vencer um campeonato ou jogo e, sim, melhorar um fundamento ou manter-se confiante durante as partidas. Dessa maneira, fica mais fácil se manter motivado, afinal, atingir o proposto só dependerá de você e, não, de outras pessoas ou circunstâncias que não pode controlar.

 

Fonte: RevistaTênis